quinta-feira, 8 de setembro de 2016

De Olhos Fechados



 

Na caminhada, o passo a passo
Com olhos abertos, absorvendo o mundo irreal
Considerando o que se vê como importante
Se esquecendo que a verdade é muito mais virtual

Dando de ombros por motivos pífios
Acompanhando o dia a dia, sem objetivo útil
Inebria-se na ilusão do momento que se vive
E se esquece de fechar os olhos para encontrar o Real

Ignora-se a vontade alheia, por arrogância
E se envolve na vida dos que não te pertencem
Esquece de olhar para os seus próprios passos
Marcas deixadas na areia do tempo que não se apagam
 
Mas se é para ser ferido, melhor se fechar
Como os olhos que se fecham ante o imprevisto
E mesmo fechados, não percebendo o externo
Percebe na introspecção do momento, a verdade

Aprecia quem do externo reconhece o íntimo
Não julgando aquele que assim não entende
Pois os passos são únicos, diferente dos caminhos
Para quem ali transita, buscando a verdade em seu coração
 
Assim como o vôo da águia, que se vê ao longe
Sinta o envolvimento do todo que está em tudo
Feche os olhos para o que vê; desperte-os para o que não vê
E dessa forma, continua a jornada perseverante.

E na passagem que vem à mente a dúvida sombria
Envolve-a na luz do amor eterno, com ternura
Transformando assim o rancor em amor sincero
Transmutando assim os desejos mais densos em luz
 
E se mesmo assim, entender que o feito foi o justo
Não julgue as atitudes tomadas, mas as intenções geradas
E perdoa, pois somente com o perdão
Será possível continuar a evolução na sua jornada

Pássaros voam sem rumo para quem os vê
Da mesma forma que sem rumo as ondas do mar vão e vem
Como imaginamos, ao acaso, as nuvens formando desenhos
Mas tudo isso ocorre por sermos cegos ao Poder Maior
 
Nada disso está submetido a nossa vontade,
Mas à decisão do Poder Supremo
Para nós, o que entendemos ser o final da caminhada
É para os Grandes Olhos o inicio da criança na jornada.
 
E se mesmo assim, te sentires sozinho
Olha as múltiplas marcas das pegadas no caminho
E renova o compromisso fiel com a sua alma
Libertando-se definitivamente das amarras terrenas
 
Fernando Golfar

Um comentário:

  1. Ruth Montanaro Coutinho8 de setembro de 2016 19:43

    Amei, muito linda sua poesia ou seja, sua inspiração.Deus continue te inspirando sempre. Parabéns Fernando. Bjs

    ResponderExcluir